Categoria unida pela regulamentação nacional da Odontologia Hospitalar

O Sistema Conselhos de Odontologia intensifica a defesa do Projeto de Lei 883/2019, que torna obrigatória a presença de profissionais de odontologia nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e demais unidades hospitalares de internações prolongadas.

Em Santa Catarina, a presidente Sandra Silvestre já se reuniu com o governador Carlos Moisés e apresentou os estudos do CFO comprovando o sucesso do modelo e os resultados positivos na saúde, como a redução de tempo de permanência dos pacientes nas UTIs e o fato de salvar vidas, “benefícios muito maiores que qualquer impacto que representaria o salário de um dentista”, destacou a presidente do CRO-SC.

CFO conduz estudo para verificar as possibilidades existentes a partir dos recursos humanos previstos na própria rede pública de saúde. Além de analisar as experiências reais e palpáveis dos estados e municípios que já possuem leis próprias que asseguram a obrigatoriedade da Odontologia Hospitalar.

A proposta é alinhar previamente, em conjunto com a Coordenação-Geral de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, caminhos estratégicos que minimizem o impacto financeiro, se há ou não possibilidade de remanejamento dos profissionais de Odontologia já atuantes no SUS para atualização no âmbito hospitalar. Essa articulação conta diretamente com o apoio das Comissões Parlamentar e de Odontologia Hospitalar da Autarquia.