Harmonização Orofacial: Comissão do CFO inicia definição de critérios de avaliação do pedido de registro e inscrição da especialidade

A Comissão Especial de avaliação do pedido de Registro e inscrição da especialidade e Harmonização Orofacial do Conselho Federal de Odontologia (CFO) iniciou, em reunião nos dias 04 e 05 de julho, em Brasília/DF, a análise dos documentos encaminhados à autarquia, em atenção ao disposto na Resolução CFO 198/2019, para validação dos títulos de especialista em Harmonização Orofacial. O trabalho da Comissão está formalizado por meio da Portaria CFO-SEC-86/2019.

De acordo com o Coordenador da Pasta, Claudio Yukio Miyake, que também é Secretário-Geral do CFO, este trabalho tem como prioridade o detalhamento dos critérios para que a avaliação aconteça de forma objetiva nos processos de solicitação de registros. “Como a especialidade em Harmonização Orofacial foi oficializada recentemente e possui ampla atuação, esta primeira reunião priorizou a análise dos itens que torna possível a obtenção do título de especialista. A Comissão contou com o assessoramento técnico para respaldo e embasamento necessários. A proposta é dirimir todas as dúvidas e promover, o mais breve possível, o registro da especialidade”, esclareceu.

Todas as iniciativas da Comissão estão voltadas para consolidar a comprovação desejada que legitime o conjunto de procedimentos de autonomia legal do Cirurgião-Dentista, no âmbito da Harmonização Orofacial. Os critérios básicos de avaliação estão delineados na própria Resolução CFO 198/2019.

Além do Coordenador, a Comissão contou com a participação dos membros Luiz Evaristo Ricci Volpato, Tesoureiro do CFO; Viviane Coelho Dourado, Conselheira e Coordenadora da Comissão de Ensino do CFO. Nesta primeira reunião, o trabalho contou com o assessoramento técnico dos Cirurgiões-Dentistas Mário Silveira de Souza, Sidmarcio Ziroldo e Tarley Pessoa de Barros; bem como dos setores Jurídico e de Registro e Especialidades do CFO. O Coordenador-Geral das Comissões, Vice-Presidente do CFO, Ermensson Luiz Jorge, também acompanhou os trabalhos.

Fonte: CFO